A história de Bernardo (Bernardão) de Fronteira – MG



 

Eis aqui uma história polêmica. Irá causar espanto em várias mulheres, desespero em vários “chegados” e complexos de inferioridade em muitos homens. A história de um escravo alforriado bem antes da Lei Áurea. O que havia de tão singular nele que o fez merecer essa graça? Quem o fez? E por que o fez? Bem, aqui alguns fatos que podem esclarecer um pouco da história, mas que também serviram para criar uma lenda.

 
Como existem vários rumores, vamos aos resumos.

 

História número um:
 
Bernardão era um escravo da região, sim – ponto em comum – e que ficou famoso pelo seu dote (desse eu já falo) e que ficou popular entre as mulheres da época e dizem as más línguas que as satisfazia.
Qual era o dote?
 
Perai! Tá com pressa do que?
 
História número dois:
 
Como era escravo de uma fazenda da região, em primeiro lugar, trabalhava na lida do campo – corte de cana,, manuseio de gado e coisas da fazenda. Sua proprietária o tinha como preferido para trabalhos digamos mais próximos e, sempre o requisitava fosse por qualquer motivo. Passeio em casa de amigos? Bernardão. Ir até o centro comercial fazer compras? Bernardão! Um passeio no campo em um dia de sol? Bernardão! Estava chovendo e não havia nada pra fazer? Bernardão!!!
Bernardão????
 
Isso mesmo! Só dava ele! Ou ela, sei lá!
Com tudo isso e seus altos préstimos à senhorita, não demorou muito e ele foi promovido a serviços mais próximos da Casa Grande (Casa dos senhores, donos dos escravos) e com o passar do tempo, com a simpatia de todos, a sua protetora conseguiu para ele uma carta de alforria  Documento de liberdade – com a qual se tornou homem livre com direitos à posse de terra e algum gado para poder levar sua própria vida.
Mas, por que tudo isso? Ninguém sabia, não até o dia em que ele adoeceu e por fim, faleceu.
Contam que ai entra o que mencionei no inicio do texto: Qual era de fato seu grande talento? Segundo consta, ao prepararem o corpo para o sepultamento e ao verem ele nu descobriram que Bernardo possuía uma “ferramenta” de aproximadamente 28 centímetros  Isso mesmo! Vinte e oito centímetros! Isso deixou muitos perplexos e muitas mulheres consternadas. Contam também que os que desdenhavam diziam que não era tudo isso não! Na verdade só tinha 27 centímetros! Como se isso fosse fazer diferença!
Ele entrou para a história da região de Fronteira por estas passagens. Até hoje não sabem dizer ao certo qual a verdadeira. A única coisa que ficou notória era mesmo o tamanho do seu membro! Desse ninguém teve duvidas! Era enorme!
 
Bem, como isso chamou a atenção de muitos, em homenagem ao agora conhecido Bernardão foi construída uma estátua que fica no centro da cidade de Fronteira (MG) e originalmente não havia uma lápide na frente da estatua, deixando assim à mostra todo o tamanho daquela coisa! Como isso vexava muitos e desconcertava várias moçoilas, senhoras e afins, por bem resolveram colocar na frente esse tapume pra desfazer o mal estar de um e os suspiros de outras.

 

FONTE



Posts Relacionados

Deixe um comentário

error: Content is protected !!