Caso Santander/Queermuseu : O MBL levou os louros que não são dele

Quero dar o meu testemunho sobre o caso da Exposição Queermuseu, que foi o mote deste meu post. A esta altura todos já sabem que o Banco Santander decidiu encerrar prematuramente o evento no mesmo dia em que publiquei o artigo.

Ocorreu que no quebrar dos ovos, boquiaberto acompanhei sites de grandes jornais no dia 11/09/17 darem o crédito do feito ao MBL. Rapidamente a blogosfera repercutiu esta versão e o MBL não se esforçou em dar os devidos esclarecimentos com o afinco necessário. Vejo agora que estavam tateando o terreno para assumirem  definitivamente a versão falsa dos acontecimentos e colherem o saldo político, que eles ganham tanto dos aliados como dos inimigos.

No dia 12/09/2017 fiquei indignado quando vi este tweet :

Quero crer que testemunhei um naco da Estratégia das Tesouras em Ação. Senão, como poderia ter sido possível 100% dos jornalistas não terem sido capazes de chegarem à fonte primária ?

Hoje, 15/09/2017, o site da revista Época publicou a história verdadeira, dando os devidos créditos ao  site Lócus , ao Felipe Diehl e ao Rafinha BK, assim como eu fiz no meu post. O único detalhe que faltou no artigo da revista Época  foi que em 09/09/2017 o grupo Terça Livre republicou em sua fanpage os vídeos da dupla Felipe/Rafinha e uma reportagem no seu canal do Youtube, o que decididamente contribuiu em grande parte para o desenrolar dos fatos.

Abaixo, o esquema mostrando como tudo aconteceu. A imagem é da matéria na Época.

 

Caso Santander/Queermuseu : O MBL levou os louros que não são dele

 



Posts Relacionados

Deixe um comentário