O youtuber Kim Paim estava transmitindo a live intitulada “LiloVlog e Assessor do Nando Moura, MENTIRAS sobre 15/3, CORONA Vírus chegou – Live com o Thio” na manhã desta quarta-feira de cinzas, 26/02/2020, quando a transmissão foi abruptamente derrubada pelo Youtube.  O vídeo da transmissão, que normalmente ficaria disponível para quem não pôde assistir ao bate-papo ao vivo, foi deletado pela administração daquela rede social.

Ato contínuo, Kim Paim recebeu uma notificação do Youtube alertando-o de que ele havia infringido as regras da Comunidade. No caso de reincidência, Kim Paim será punido com a proibição de fazer lives e postar vídeos por uma semana.

 

 

A live foi derrubada no exato momento em que o youtuber estava veiculando uma denúncia feita pelo Escola sem Partido no Twitter em 25/02/2020.

 

Veja a denúncia feita pelo Escola sem Partido:

 

 

Trata-se de mais um caso de censura e perseguição aos conservadores. Há tempos os youtubers do espectro político de direita estão sendo obliterados no Youtube.

É incontestável que o Youtube  tornou-se uma rede social esquerdista e que lá tudo podem os que coadunam com as agendas ditas progressistas. Prova disso é que o trecho de vídeo que ocasionou a arbitrariedade sobre Kim Paim tem cerca de 43 segundos. Por outro lado, o vídeo completo, com 1 hora + 26 minutos de duração está publicado na mesma rede social desde 18/05/2019 sem nenhum problema. Veja AQUI  ( O trecho em questão está, mais ou menos, entre a marca 17:39 e 18:17 ).

A denúncia do Escola sem Partido diz respeito a uma ocorrência de 2018  na Escola Estadual Maria Constança Barros Machado, em Campo Grande, Município no Mato Grosso do Sul. O professor Jó Medeiros de Aquino e o diretor Daniel da Silva Lemos exibiram no estabelecimento de ensino  e forçaram alunos de 14 a 16 anos a assistirem ao longa-metragem “Crime Barato”, com enredo gay.

O escândalo veio à tona quando pais dos alunos expuseram a ocorrência no Facebook.

“[…]além de não ser informada, após entrar no auditório, a turma teria sido proibida de sair durante a apresentação e ameaçada pelo responsável caso alguém filmasse ou fotografasse as cenas do “repugnante filme”[…], relatou um dos pais.

O Escola sem Partido cobra uma punição mais severa ao professor e diretor. A secretaria de educação do MS, analisou o ocorrido, e como punição transferiu o diretor e professor da escola, sem qualquer punição exemplar.

 

FONTES: 1 e 2

 

 





Posts Relacionados

Deixe um comentário

error: Content is protected !!