Denúncia : Jornada Mundial da Juventude – O que está por trás do fiasco em Guaratiba

 

Transcrição de artigo do Diário de Hospital :

 

 

Hoje vou contar uma história muito legal…

 

Era uma vez um terreno em Guaratiba-RJ, um lugar bem afastado, lugar da classe trabalhadora.
 
Estranhamento o prefeito do Rio escolheu este lugar para realizar a Missa do Papa na JMJ.
Para que isso fosse possível, o lugar foi desmatado, mais de 300 árvores derrubadas, foram feitas obras de encanamento de água e esgoto, além de pavimentação, milhões de reais foram gastos.
 
O dono do terreno, um senhor chamado Jacob Barata, dono de muitas empresas de ônibus, foi muito caridoso e permitiu que o evento fosse feito lá. Homem de fé.
 
Para a tristeza dos moradores de Guaratiba, uma forte chuva veio e acabou com o trabalho de um ano inteiro, a maré encheu, inundou o terreno e o prefeito cancelou o evento, transferindo-o para Copacabana, zona Sul do Rio, área nobre da cidade bem longe de Guaratiba.
 
Os moradores acabaram perdendo todo seu investimento em bebidas, comidas e todo o resto que eles queriam vender, foi um baita prejuízo.
 
Segundo os moradores, foi bem estranho a prefeitura escolher aquele terreno, pois ele não tem estrutura para abrigar um evento deste porte. Seria preciso muita benção do Papa para as coisas darem certo.
 
A história acaba com um final feliz para Jacob Barata, que ficou com seu terreno reformado, sem as árvores que ele não poderia derrubar, com um bom saneamento e por isso muito mais valorizado.
 
E para a surpresa de muitos, o terreno de Jacob Barata será comprado pelo Estado e usado para a construção do condomínio Minha Casa Minha Vida do Governo Federal.

 
Moral da história: todos viveram felizes para sempre, menos os moradores que levaram o preju e os peregrinos que não viram o papa e perderam a viagem.

( FONTE )



Máquina de cartão de crédito com as melhoras taxas do mercado

Posts Relacionados

Deixe um comentário