Nova Lei da Migração (ou Como importar novos eleitores para a esquerda corrupta)

PT, PMDB, PSDB, etc. são todos farinha do mesmo saco; a Operação Lava Jato vem deixando isto cada vez mais claro até para o eleitor mais bovino. Figurões destes e dos outros partidos , todos  esquerdistas , jamais ganharão eleições novamente, nem mesmo para síndico de condomínio. E não é que as raposas estão arquitetando continuarem a tomar conta deste galinheiro chamado Brasil ?  A nova Lei da Migração do senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) passou pelo senado e segue para sanção do presidente Temer, que já avisou que vai aprová-la.

 

 

Resumo prático da nova lei 

A nova Lei de Migração é um desvario no quesito segurança pública. Na prática , não há mais fronteiras. Qualquer um entra sem prestar contas ou dar qualquer explicação. Não é , por exemplo, nem verificado antecedentes criminais. Não há mais como deportar um criminoso internacional, pois se ele entrou no Brasil passa a ser cidadão brasileiro. Os traficantes de drogas e armas, principalmente aqueles do Foro de São Paulo ( a quadrilha internacional do ex-presidente e futuro presidiário Lula ), farão a festa. O que já era fácil, agora virou brincadeira de criança.

Para você, brasileiro nato, dizem que não há dinheiro para a previdência. Mas para o imigrante há.  Toda vez que você procura a saúde pública, descobre que seria melhor morrer porque não há dinheiro no erário disponível para esta área. Mas para a saúde do imigrante há. Enfim, a nova Lei da Migração é uma desfaçatez.

Mas por que uma lei tão anacrônica como essa ? Por que aprovar a toque de caixa uma lei derrubando as fronteiras nacionais justamente  em uma época em que todos nós assistimos diariamente pela TV o resultado traumático da experiência europeia neste mesmo sentido ?  A resposta é óbvia : os políticos corruptos brasileiros precisam urgentemente de novos eleitores. Os novos imigrantes terão os mesmo direitos que você, brasileiro nato, inclusive direitos políticos. Ou seja, poderão votar.
 

 


 


 

Deixe um comentário